O DILEMA EM TORNO DO REGIME MILITAR

  • O colega Adolfo Sachsida dá seu parecer a respeitdo do tema, com boas informações para reflexão

Existe uma ala da direita que insiste em identificar o seu posicionamento com a defesa do Regime Militar, levando em consideração o autoritarismo da época, a repressão,   a ordem social e a suposta reserva moral que está presente na farda. É uma concepção ideológica típica do século passado encarar a direita como defensora da repressão , do status quo e do capitalismo, onde o mundo estava polarizado entre dois  modelos de produção econômica. De um lado , o modelo capitalista,  representado pelos EUA; de outro, o bloco socialista, pela União Soviética. Era muito comum o espectro político estar polarizado naquela época, onde quem defendia o Regime Militar era considerado à Direita por rejeitar o projeto revolucionário do Comunismo . E quem se opunha ao Regime Militar e apoiava a  outra Ditadura, era considerado à Esquerda. Os regimes militares instalados na América Latina entre os ano 60 e 70 visavam impedir a escensão dos  partidos de esquerda ao poder, utilizando os métodos mais sórdidos para tal, como prisoes, perseguições , e torturas até a morte, dentro de um Estado policial vigilante a qualquer sinal contrário à ordem instituída.  Tais métodos sempre foram e são justificados por seus representates e defensores. Os simpatizantes da repressão ignoram o fato de que os EUA, símbolo maior da democracia ocidental, financiou  todos esses regimes , inclusive o do Brasil.

Nas manifestações que ocorreram este ano contra o PT, em Novembro, surgiram grupos e associações da extrema direita , dentres os quais o Revoltados on line e o Partido Militar Brasileiro ( PMB) , erguendo a bandeira do Brasil, promovendo o sentimento nacionalista e pedindo a queda da presidente Dilma Rousseff, eleita legitimamente. O grupo citou supostas fraudes ocorridas nas eleições de 2014 e ao mesmo tempo resgatando a memória do Golpe de 1964 , pedindo  intervenção dos militares para tomar as rédeas do país. Os motivos para tal foram vários, desde o Foro de São Paulo- do qual o PT faz parte desde 1990- até a possibilidade de um Golpe comunista no médio prazo . Segundo as viúvas da repressao, a imposição das Forças Armadas no Governo iria mudar os rumos do país, resgatando a ordem e o progresso, inclusive salvando a economia  do intevencionismo estatal, tão defendido pelo PT.

No entanto,  crer que os militares fariam um Governo diferente do que o PT vem fazendo é o cúmulo da ignorância ou falta de informação. Os fatos históricos mostram exatamente o oposto do que os direitistas radicais esperariam dos fardados. Os governos militares provocaram  uma hiper inflação que ficou acentuada nos anos 80 , que é resultado dos gastos excessivos do Governo. Houve uma expansão faraônica em construções civis, investimento em empresas estatais de base ( SIDERÚRGICA, PETRÓLEO E  ENERGIA ELÉTRICA) ,  havia cerca 500 empresas estatais naquela época, muitas das quais  deficitárias, pois exerciam atividades burocráticas, apenas viviam de impostos, não geravam receitas.

No geral , isso não é nada diferente do que o PT vem feito. O Governo beneficia um pequeno círculo de grandes empresários ao fornecer créditos bilionários via BNDES ( dinheiro público) , engessando a concorrência no mercado e gerando concentração de renda e riqueza nas mãos destas empresas.  Andrade Gutierrez e Odebrecht são campeãs dos processos de licitação, o que é algo muito estranho, dado o fato de que o mercado de construção civil é constituído por muitas empresas do segmento além destas duas.

E nos Governos militares? Nos anos 70 foi criado o Bando Nacional de Habitação ( BNH) que captava recursos do FGTS ( dinheiro do trabalhador) para financiar projetos publicos, cuja execução se dava pelas empresas privadas . A Odebrecht cresceu prestando serviço para os Governos militares, com vários contratos públicos.  Em outras palavras, os militares exerciam uma política que  hoje chamamos de ” campeões nacionais” , onde o Governo escolhe a dedo quem deve ganhar e quem deve perder no mercado.  O governo do PT faz praticamente o mesmo ao usar recursos públicos para turbinar as grandes empresas de diversos setores.

Tanto o Governo petista quando o dos militares são exemplos de Capitalismo de Estado, onde o Estado é sócio de grandes empresários em diversos segmentos da economia, tomando decisões sobre alocação de recursos, crontrolando a produção, o investimento e o preço dos bens e serviços. É um modelo econômico autoritário e anti-liberal, pois entre as empresas existentes, só terão espaço pra fazer negócio quem estiver próximo daqueles que detém o poder.

  • Demétrio Magnoli em palestra sobre o tema do capitalismo de Estado

Portanto, o ideário da extrema direita, mais simpática por regimes autoritários, está em descompasso com a direita liberal , que defende valores  muitas vezes contrários à experiência política do anos de chumbo. E no campo das liberdades individuais- tema caro para os liberais- tanto a Ditadura Militar quanto o PT deixam a desejar.  Os militares suspenderam o direito de registrar partidos políticos até 1979;  realizaram prisões arbitrárias, estupraram prisioneiras, torturaram militantes de esquerda ou qualquer um que se opusesse ao Regime.  Já o PT, ao chegar ao poder em 2003, sancionou o Estatudo do Desarmamento, que reduziu o porte de armas legais nas mãos de civis e reduziu em 90% o comércio de armas, dando cada vez mais incentivos para os criminosos agirem sem o receio de receber a reação das vítimas. Criou a lei da palmada , que ameaça a autoridade familiar sobre os filhos e ainda não desistiu da idéia de criar mecanismos de controle sobre os meios de comunicação . A proposta de regulamentar o conteúdo das redes sociais é  do senador Humberto Costa ( PT).

Enfim, os radicais que pedem por repressão estão tão embebidos pela nostalgia de um passado que nunca viveram que perdem a capacidade de enxergar o paralelo que existem entre o passado e o presente. Tampouco tem consciência daquilo que estão demandando.

Artigo sobre o Regime Militar brasileiro

http://pt.wikipedia.org/wiki/Regime_militar_no_Brasil#Lei_Falc.C3.A3o

Anúncios

4 comentários em “O DILEMA EM TORNO DO REGIME MILITAR”

  1. Com todo o respeito, discordo em gênero, número e grau do texto.Vamos por partes: Ninguém defende a ditadura, somente defende a intervenção constitucional que é prevista em lei, são situações completamente diferentes, como se reagir a uma situação completamente fora de controle? Acha que Dilma vai ser derrubada via política? Então espere papai noel, pois esse dia NUNCA chegará no Brasil, todo o sistema está aparelhado, te pergunto novamente, que mal há em simplesmente cumprir a constituição? É previsto, está lá, por que tanto temor? Vamos em frente, falar da economia e investimento do Estado naquela época e agora é no mínimo uma grande imbecilidade no prisma econômico, o que havia no Brasil da época e de hoje???? Quem tinha capital para investir no Brasil se não os estrangeiros ou o governo federal? Tirar um fato do contexto e coloca-lo em outro é no mínimo tentar defender uma tese de forma vazia, é o mesmo que o discurso eleitoral da presidente Dilma falando que a inflação da era FHC era maior que a dela, tira o fato do contexto e não considera o que realmente acontecia na época, não há espaço para isso em uma análise séria, como sugere o texto, isso sim é o cúmulo da ignorância e falta de informação; Adiante, cita-se no texto a influência americana nos regimes militares dos anos 60 e 70, influência financeira essa NUNCA comprovada, porém, o autor do texto omite propositalmente a influência financeira da Rússia, Ex-URSS, via KGB, DOCUMENTALMENTE COMPROVADA para financiar a entrada e implantação do seu regime em TODA a América Latina, pessoas como José Dirceu, José Genoíno, Dilma Russef, Franklin Martins foram financiadas, treinadas e condicionadas a estabelecer a revolução aqui, quem não vê que o que ocorre hoje no país com a subida dessas pessoas ao poder e a manutenção deles de forma criminosa nele é uma continuidade desse processo, no mínimo é mal intencionado ou tem partidarismo claro, é de uma mediocridade sem limites fatiar a História e analisar os fatos de acordo com a conveniência, para um historiador SÉRIO, tal prática é um fato inconcebível. NUNCA o mundo esteve tão dividido como hoje, e tão preponderantemente Comunista, somente os discursos mudaram, perceberam que o confronto direto surtia o efeito contrário na população, sentimento de repulsa. No Brasil, foram assassinados em torno de 200 pessoas pela ditadura, e 100 pelos guerrilheiros plantados por interesses externos comunistas, os 100 caíram no ostracismo e esquecimento, por que?

    Curtir

    1. Com todo o respeito, discordo em gênero, número e grau do texto.Vamos por partes: Ninguém defende a ditadura, somente defende a intervenção constitucional que é prevista em lei, são situações completamente diferentes, como se reagir a uma situação completamente fora de controle? Acha que Dilma vai ser derrubada via política? Então espere papai noel, pois esse dia NUNCA chegará no Brasil, todo o sistema está aparelhado, te pergunto novamente, que mal há em simplesmente cumprir a constituição? É previsto, está lá, por que tanto temor? Vamos em frente, falar da economia e investimento do Estado naquela época e agora é no mínimo uma grande imbecilidade no prisma econômico, o que havia no Brasil da época e de hoje???? Quem tinha capital para investir no Brasil se não os estrangeiros ou o governo federal? Tirar um fato do contexto e coloca-lo em outro é no mínimo tentar defender uma tese de forma vazia, é o mesmo que o discurso eleitoral da presidente Dilma falando que a inflação da era FHC era maior que a dela, tira o fato do contexto e não considera o que realmente acontecia na época, não há espaço para isso em uma análise séria, como sugere o texto, isso sim é o cúmulo da ignorância e falta de informação; Adiante, cita-se no texto a influência americana nos regimes militares dos anos 60 e 70, influência financeira essa NUNCA comprovada, porém, o autor do texto omite propositalmente a influência financeira da Rússia, Ex-URSS, via KGB, DOCUMENTALMENTE COMPROVADA para financiar a entrada e implantação do seu regime em TODA a América Latina, pessoas como José Dirceu, José Genoíno, Dilma Russef, Franklin Martins foram financiadas, treinadas e condicionadas a estabelecer a revolução aqui, quem não vê que o que ocorre hoje no país com a subida dessas pessoas ao poder e a manutenção deles de forma criminosa nele é uma continuidade desse processo, no mínimo é mal intencionado ou tem partidarismo claro, é de uma mediocridade sem limites fatiar a História e analisar os fatos de acordo com a conveniência, para um historiador SÉRIO, tal prática é um fato inconcebível. NUNCA o mundo esteve tão dividido como hoje, e tão preponderantemente Comunista, somente os discursos mudaram, perceberam que o confronto direto surtia o efeito contrário na população, sentimento de repulsa. No Brasil, foram assassinados em torno de 200 pessoas pela ditadura, e 100 pelos guerrilheiros plantados por interesses externos comunistas, os 100 caíram no ostracismo e esquecimento, por que?

      Curtir

  2. Colega, em primeiro lugar, não tenho garantia de que o PT queira se perpetuar por vias não -democráticas. Segundo, a oposição perdeu pela quarta vez devido à sua própria incompetência. O PT é um partido do qual se pode esperar o pior. O atual Governo inventa mentiras sobre a oposição, mas esta não reage na devida proporção.

    Quanto À intervenção, não há a menor garantia de que os militares, se recorressem a tal artifício, entregariam o poder em seguida, ou muito menos fariam algo diferente do PT no campo da política econômica. Não sei se você sabe, mas o intervencionismo estatal da Dilma remete ao modelo de Governo dos militares, que eram tambem intervencionistas. Como eu bem expliquei no texto, da mesma forma que os militares usavam dinheiro do trabalhador para financiar grandes obras publicas, que eram feitas por empresas ligadas aos militares, o PT faz algo muito parecido. Só muda o nome. E o nome que deram foi ” política de formação de campeões nacionais”, algo que se sustenta a custa de privilégios, pois o Governo petista turbina as grandes empresas via os recursos do BNDES.

    No entanto, não entendi a sua crítica. Porém, existem documentos que provam a ajuda dos EUA nos golpes militares na América Latina.
    Eu , pessoalmente, nada tenho contra militar. Porem, não gostaria de passar por um experiência igual a de 50 atrás.

    Curtir

  3. Só acho que devemos sim , vigiar este Governo no que diz respeito ao projeto de poder que eles cultivam e que pode ser posto em prática, em sua totalidade , no longo prazo. Haja vista que o PT é membro fundador do Foro de São Paulo e compactua com os regimes bolivarianos da América Latina.
    Não sei se você sabe, mas corre no Congresso uma emenda constitucional que pode transferir as forças policiais dos Estados para o Governo Federal. Isso sim é objeto de preocupação, pois com essa medida posta em prática, só Deus sabe o que um Governo pode fazer com esse poder centralizado.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s